segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Mais dois heróis na nossa Capa

Depois de Salvador Sobral ter ganho direito a figurar na nossa capa, esta semana mais dois atletas portugueses foram incluídos.
A campeã do Mundo dos 50km marcha Inês Henriques e o campeão da Europa de maratona de BTT Tiago Ferreira passam a constar do Ponta da Lança.
É sempre um grande prazer acrescentar gente neste blog pois é sinal que há portugueses a destacar-se nas suas áreas de actividade.
Temos espaço para muitos mais!
Parabéns à Inês e ao Tiago.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Campeonato da Europa de Cavaleiros de Obstáculos

Começa hoje o Campeonato da Europa de Cavaleiros de Obstáculos nas categorias de Children, Juniors e Young Riders em Samorin na Eslovaquia. A equipa portuguesa está lá e todos merecem esta presença pelo trabalho que desenvolvem ao longo do ano, com a grande dedicação que têm à sua modalidade e aos seus cavalos. Nós não precisamos de lá estar para saber que o ambiente é bom e o espírito é forte, aqui simbolizado pela mascote Afonso Rebelo que está a apoiar o seu irmão Francisco Vaz Fontes mas já a ganhar experiência porque será, certamente, um dos elementos com quem o seleccionador nacional contará em anos futuros. Um forte desejo de muito boa sorte para todos, certos que o seu desempenho honrará o nome de Portugal. Participantes e respectivas montadas:

CHILDREN
ARTUR SANTOS GAIOLAS com Casalco
PATRÍCIA MADEIRA com Adonis B
VASCO ESCUDEIRO com Chasse Spleen Z ou Erika van de Zuuthoeve

JUNIORES
FRANCISCO FONTES com Uta
GONÇALO ESTEVES com Tornedo Dingeshof Z
JOEL MENDES com Lux but Dont Touch
NUNO TIAGO GOMES com Disco
PEDRO RAFAEL SOUSA CARVALHO com Donner

YOUNG RIDERS
BERNARDO LADEIRA com Dento
JOÃO PEREIRA COUTINHO com Baldano
RAFAEL GUIMARÃES RODRIGUES com Celina


CHEFE DE EQUIPA:    Miguel Viana

domingo, 6 de agosto de 2017

Video-árbitro, afinal, desculpa tudo o resto...

O Benfica ganhou a Supertaça e é mote entre os adeptos do clube que os dois troféus jogados com o sistema do vídeo-árbitro foram os dois ganhos pelo clube da Luz.
Pois, ou seria o Benfica ou o Guimarães, afinal foram eles que estiveram em ambos... e diga-se que o Vitória nunca justificou merecer o resultado a seu favor e, por isso, o Benfica é um justo vencedor.

Mas o mais curioso foi uma publicação que acabei de ler no Facebook:
"Segundo jogo com vídeo-arbitro, segundo título. E agora qual é a desculpa?"

Então mas o que tem a ver o sistema de apoio aos árbitros com todos os indícios de ilicitudes fora de campo?

O grave, não é quando se ganha dentro de campo com justiça!
O grave são as vezes que se ganhou com coisas muito estranhas a acontecer. 
O grave são os pedido de alterações de classificações de árbitros e de delegados. 
O grave é o facto de se ter na sua posse os sms's do Presidente da FPF.
O grave é oferecerem-se prendas acima dos valores estipulados como legais.
O grave é apoiarem-se claques ilegais e não sofrer as consequências que a lei impõe.
O grave é condicionarem-se árbitros através de conhecimento da sua vida privada.
O grave é usarem-se meios ilegais e desonestos para, com isso, tirar partido desportivamente.

É impossível não deixar de registar as dezenas de comentários em que se goza com os mails, como se isso já fosse um motivo de chacota e não de vergonha para quem está a beneficiar dessas ilegalidades.

É impossível não ficar triste por vermos que as pessoas que nós conhecemos e que tanto nos acusam de sermos adeptos de um clube que não ganha, não se sintam envergonhados por perceberem que, afinal, esse clube talvez não ganhe mais graças a acções pouco lícitas dos dirigentes do clube que apoiam.

A subversão das regras afinal, quando há títulos em jogo, também subverte consciências.
Cada um sabe de si!...





sábado, 5 de agosto de 2017

Luís Filipe Vieira, as claques ou os adeptos?...

Recentemente, Luís Filipe Vieira, a propósito das acusações de que o Benfica apoia claques em situação ilegal perante a legislação portuguesa, teve estas declarações:

"Claques? Não sei que palavra é essa. Sei o que são sócios organizados. Nunca soube (ou "sube") que o Benfica tinha claques."

Pareceu uma excelente declaração e até criou alguma euforia entre os apoiantes do Benfica e do seu Presidente, não fora existir uma Lei que diz isto:

"Apenas podem ser objecto de apoio por parte dos promotores do espectáculo desportivo, nomeadamente através da concessão de facilidades de utilização ou cedência de instalações, apoio técnico, financeiro ou material, os grupos organizados de adeptos constituídos como associações, nos termos gerais de direito ou no âmbito do associativismo juvenil, e registados como tal no CESD (...)"

Ou seja, Luís Filipe Vieira tentou curar uma ferida com álcool... Achou que omitindo a palavra "claques" tinha descoberto a pólvora... 
Não Sr. Presidente. Aqui não há dúvidas sobre a designação! Claques, grupos de adeptos ou de sócios, são uma e a mesma coisa! E estão obrigados perante a Lei a constituírem-se em associações. E os clubes impedidos de os apoiarem, caso isso não aconteça!

Mas, ao que parece, Luís Filipe Vieira convenceu o IPDJ que, em 24 horas, aprovou um Regulamento de Segurança do Estádio da Luz, que andou anos a ser reprovado e recusa-se a explicar publicamente que circunstâncias novas foram apresentadas pelo clube que permitiram desbloquear a utilização do Estádio que esteve prestes a ser interditado.

Mas, como já li algures, o "Benfica é um clube que cumpre as Leis, desde que lhe agradem"!...


Liga NOS (ou continuará a ser a Liga "deles"?...)

É este fim-de-semana que regressa o campeonato de futebol aos campos portugueses depois de um dos defesos mais conturbados de sempre.
Foram muitas as acusações feitas e muitas as suspeitas levantadas, mormente com muitos indícios de tráfico de influências por parte do Benfica nas últimas épocas.

À boa maneira do futebol nacional, nada aconteceu! O comum adepto nem sequer sabe o que se anda a passar neste momento. 
Há alguma espécie de investigação sobre as acusações que foram feitas? O Ministério Público, depois de ter avisado que ia investigar, fê-lo? Em que circunstâncias? Em que ponto está essa investigação?
E a Liga, fez alguma coisa? Se sim, o quê?
E a Federação, depois do seu Presidente ver o seu telemóvel profanado, mas sobretudo, como primeira entidade responsável pelo futebol em Portugal, o que tem feito?

Resumindo, há fortes indícios de ter havido variadíssimos crimes nos últimos anos, quer lhe chamem tráfico de influências, quer lhe chamem corrupção, quer lhe chamem violação de correspondência e, como vamos estando habituados, não se passa nada!

Outro assunto, amplamente denunciado, é o dos observadores que, apesar das incompatibilidades conhecidas, vêm este facto ser ignorado e vão iniciar funções. Como é possível atropelar-se a lei e as instituições fecharem os olhos como se tudo estivesse bem?
A bem de quê e ao serviço de quem?

Depois a polémica das claques, ou como Luís Filipe Vieira prefere chamar, grupos organizados de adeptos... Seria bom, por uma questão de clarificação de circunstâncias, que o IPDJ divulgasse de que forma aprovou em 24 horas um relatório de segurança das instalações do Estádio da Luz, que andou alguns anos a ser recusado. O que de novo surgiu que esteve na base desta decisão? 

Lembre-se o IPDJ que é um Instituto público e que tem obrigações perante as pessoas que suportam o Estado e deve a essas pessoas transparência.

E, como tal, o campeonato vai iniciar-se como se nada se tivesse passado.

E é sempre da mesma maneira. 
Os supostamente beneficiados, dizem que é no campo é que se vê quem tem capacidade e qualidades. 
Quem se sente prejudicado diz que a verdade desportiva está viciada e que, desta forma, é difícil competir em pé de igualdade.
Aquilo que se espera é que, esta época, o que se vier a passar dentro das quatro linhas, se desenrole com mais justiça do que nos últimos anos, esperando que o vídeo-árbitro venha a ser uma solução e não um problema afinal neste período experimental vimos este sistema ser solução mas também vimos ser um problema com um árbitro, depois de visionar imagens, continuar a ignorar uma agressão. 

Quanto às equipas que vão entrar nos campos e jogar futebol, com mais ou menos reforços, não deve haver surpresas e as decisões irão estar entre os três grandes, com a tentativa de aproximação de Guimarães, Braga, Marítimo e um ou outro que tente vir a intrometer-se.

Mas note-se que, tristemente, as equipas parece que já estão relegadas para um segundo plano quando deveriam ser protagonistas.

Sem a certeza que venha a ser uma época limpa, esperamos e desejamos fortemente que não seja tão manietada como nas últimas.

Como sempre, que vença o melhor, com justiça, com o menor número de casos possíveis e com verdade desportiva.
Pessoalmente ainda não acredito que tudo esteja preparado para ser assim, mas lá vou esperando ser surpreendido.

Boa sorte, muito desportivismo e justiça para todos!




sexta-feira, 4 de agosto de 2017

O números de Neymar

Neymar passou a ser o jogador mais caro do mundo depois de assinar pelo Paris Saint Germain.
São 222 milhões de euros para o Barcelona, fora tudo o resto que envolve esta transferência que o proprietário do clube que o contratou diz que será muito boa para todas as partes porque conta ganhar muito dinheiro com o jogador.
O brasileiro é um virtuoso, sem dúvida e acredito que terá o desejo de vir a ser eleito o melhor jogador do mundo, destronando ao fim de quase uma década, Ronaldo e Messi.
Mas as carreiras também são feitas de números daqueles que se fazem dentro de campo e Neymar, em análise directa com os dois galácticos, fica a léguas. Os golos, que é o que mais conta num jogo, comparando apenas os anos que Neymar esteve em Espanha, podemos ver que Ronaldo em 195 jogos marcou 205 golos, Messi em 204 jogos marcou 194 golos e Neymar em 186 jogos marcou apenas 105 golos. Uma distância demasiado grande para quem se quer intrometer na luta para ser número 1.
Será que vale o argumento de que, numa equipa com Messi, ele não teve as oportunidades que poderá ter numa equipa em que é ele o cabeça de cartaz?
Óbvio que em França o jogador tem aspirações a ser o melhor em tudo e a impor-se, mas é incomparável o campeonato francês com o espanhol, coisa que terá sempre que ser tomado em conta.
Certo é que o há um título que dificilmente lhe será retirado nos próximos tempos e esse é de ser o mais caro, mas nem sempre isso significa ser o melhor...


sexta-feira, 28 de julho de 2017

Carta aberta a Nicolau Santos

Caro Nicolau Santos,

eu também tenho opinião sobre o Sporting e sobre o plantel.
Também tenho opinião sobre Bruno de Carvalho e Jorge Jesus.
Também tenho opinião sobre o regresso das modalidades ao Sporting e a construção de um pavilhão que as albergue.

Também tenho opinião sobre os corpos sociais e directivos do clube.

Ou seja, ambos temos opinião!

Embora eu não vá explanar aqui a minha opinião sobre o universo Sporting, não podemos dizer qual das nossas opiniões será a melhor e a que deveria vingar no clube.
Só há uma coisa que nos distingue. É que a sua opinião é publicada no Expresso, bem como as respostas a quem o contesta e, a minha apenas vai sendo publicada no meu modesto blog.

Como é óbvio, muito do que diz sobre o clube e sobre as pessoas que o lideram são correctas, mas também Nuno Saraiva diz coisas com muito acerto. Sobretudo quando fala de timing...


De uma pessoa que se expõe da forma que fez, no maior semanário português, onde está há tantos anos que se deverá achar em casa, espero que agora dê o salto e passe estas críticas para o local certo de um clube democrático, a sua Assembleia Geral. E, já agora, para quem está tão seguro da sua certeza, porque não concorrer às próximas eleições? Faltam apenas três anos, o que lhe dá muito tempo para as preparar.


Com votos das maiores felicidades desportivas e sem dúvidas do seu sportinguismo, endereço Saudações Leoninas.

Jaime Feijão


terça-feira, 25 de julho de 2017

Será possível ou é apenas uma estupidez minha?

Este ano houve eleições presidenciais em França que foram ensombradas por diversos atentados que mataram muitas pessoas.
Algumas conversas da família Le Pen, quer Marine, quer o seu pai, Jean Marie, deixaram no ar que, consigo no poder não teriam havido explosões criminosas.

Houve quem aventasse a possibilidade destes ataques terroristas possam não ter um fundamento extremista islâmico como é habitual mas que tenham sido provocados para impulsionar determinada facção nas eleições.
Desde as eleições, que se realizaram no dia 7 de Maio, não voltaram a acontecer atentados!

No final deste ano teremos eleições autárquicas em Portugal e a luta entre os dois maiores partidos portugueses está feroz.
Esperamos todos que o volume impressionante e anormal de incêndios não estejam a ser usados em substituição dos habituais cartazes de campanha...


Ou então, tudo isto é uma grande estupidez!...

sexta-feira, 21 de julho de 2017

André Ventura e os ciganos

André Ventura, candidato à Câmara de Loures pelo PSD e a quem o CDS retirou o seu apoio, fez esta semana declarações muito objectivas, dirigidas aos ciganos (não vou dizer se é raça ou etnia para não aborrecer o senhor que foi ao Prós e Contras), acusando-os de viverem, na sua maioria, de subsídios do Estado, como o RSI - Rendimento Social de Inserção.
Não, não vou dar aqui dizer se acho que sim ou que não porque não é esse o propósito desta crónica.
Vou sim dizer que estou na dúvida se André Ventura ganhou ou perdeu as eleições com estas declarações.
É sabido que uma larga maioria das pessoas em Portugal, por muito que se queira negar a evidência, não gosta de ciganos.
Quem quer ter famílias ciganas como vizinhos?
Quem aluga uma casa a ciganos?
Quantas pessoas se podem gabar de ter amigos ciganos com quem convivem de forma frequente e chegada?
Quem nunca fez uma crítica igual à de André Ventura sobre o facto de muitos ciganos terem sinais exteriores de riqueza e, apesar disso, terem direito a subsídios do Estado?
É óbvio que quem quiser ser politicamente correcto dirá que o candidato se excedeu, que não pode generalizar e que está a ser racista. E que, sobretudo quem concorre a eleições, não deve dizer o que ele disse por ser politicamente incorrecto.
Mas quantos também, não estão a pensar que ele tem razão? E muitos dos que pensam isto, têm medo de o assumir e de o verbalizar.
Não esqueçamos, no entanto, que o voto é secreto e que dessa forma, até aqueles que não se querem manifestar publicamente o podem fazer no anonimato e conferir uma legitimidade a André Ventura para aplicar medidas contra aquilo que se acha ser uma prática instalada.
Outra dúvida que tenho é se o candidato proferiu estas declarações já fazendo parte de uma estratégia ou se assumiu essa estratégia depois das declarações terem gerado grande burburinho a nível nacional e que possa ter pensado que pode ser uma boa forma de captar votos.

Uma coisa sei, André Ventura é um homem muito inteligente. Polémico, provocador e habituado ao confronto mas com muita capacidade de argumentação que lhe permite enfrentar este assunto e alimentá-lo.
Outro argumento a favor é que o nosso país, em algumas circunstâncias, vive-se a fase Tiririca - pior do que o que está não fica e, por isso, muitas pessoas votam em quem lhe faz promessas, mesmo muito absurdas ou atropelando o que possam ser direitos humanos ou direitos consagrados.
Em Outubro se verá mas começo a ver crescer uma onda que pode acabar em vitória.


A teoria do "fodasse"

Sim, leram bem, fodasse com dois esses!
Penso nisto amiúde. Porquê o consensual foda-se e não o mais lógico fodasse?
Ninguém na web sustenta esta fórmula de vernáculo com dois esses, todos optando pelo foda-se, que é a utilização do presente do con
juntivo do verbo foder, acrescido do pronome pessoal reflexo "se" na terceira pessoa.
Quer isto dizer que o foda-se escrito desta forma indica uma que nos dirigimos a alguém e que queremos que essa pessoa "se foda". Implica a acção!
Coisa que não acontece usando a palavra fodasse que, esta sim, é uma interjeição e não obriga à acção da pessoa se ir foder.
Perante isto e sempre que a palavra surge num contexto de surpresa, de admiração, de alegria, de dor ou apenas de desabafo, eu (des)largo um FODASSE!
Se quiser, realmente, mandar alguém para esse lado, aí eu já digo vai-te foder ou mesmo, se forem várias pessoas e à boa maneira do norte, fodei-vos.
Não chego ao cúmulo de lhe pôr um acento circunflexo no "o", à maneira brasileira, porque acho que já seria demais...
E, se tudo isto for uma grande estupidez, fico-me pelo facto de que, em termos gráficos o fodasse ser muito mais giro!...
Fodasse para isto.


quarta-feira, 12 de julho de 2017

A confirmação de uma estratégia

Já aqui abordei, a propósito de Salvador Agra (aqui), que o Benfica esta época optou por uma estratégia de empréstimos de jogadores a clubes de menor dimensão. E convenhamos que é uma estratégia bem pensada, afinal são jogadores com importância para as equipas para onde vão e que, maioritariamente, serão titulares.
Ora, ao abrigo da lei, contra o seu próprio clube não poderão jogar o que significa que o Benfica defrontará algumas equipas que estarão debilitadas pela falta que estes elementos farão nesses jogos.
Também incrementa a competitividade dessas equipas contra os seus rivais mais directos.
Depois, não deixarão de ser olhos e ouvidos dentro dessas instituições e que, se não forem completamente fiéis ao seu grupo de trabalho e à estrutura onde estão inseridos, poderão ser uma fonte de informação de estratégias e tácticas...
Um dos alvos que o Benfica estava a tentar conquistar para esta estratégia, Ailton, jogador do Estoril, segundo o jornal O Jogo, esta semana impôs a condição que, para assinar, queria garantias de ficar no plantel encarnado e, fazendo fé neste diário, Luís Filipe Vieira negou-lhe esta pretensão e com isso a transferência terá sido inviabilizada.
Apenas mais uma confirmação de que esta estratégia existe e tem sido alvo de grande investimento por parte dos campeões nacionais.
Obviamente que há aqui muito jogo fora de campo que desvirtualiza o campeonato e a verdade desportiva. Apenas mais uma das coisas que tem que ser mudada nos regulamentos da Liga.


Para ler aqui

Agra muda de ave

Não deve haver sensação pior para um jogador de futebol que sentir-se usado como um instrumento de manipulação, quando cumpre o sonho de assinar por um grande, talvez o do seu coração, mas é logo despachado sem ter uma oportunidade, não é Agra?...
A camisola ainda a vestiu no dia da assinatura mas teve logo que a devolver.
Fica claro que nunca foi opção pois se fosse teria sido testado.
Agora a ave é outra...
Talvez apenas porque é preciso que na primeira jornada dê tudo por tudo...
Vamos lá ver se não muda de equipa todas as semanas para outra onde faça mais falta...
Não deixa de ser uma estratégia inteligente que usa as premissas da lei.


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Justíssimo reconhecimento ao Joel

Esta semana, na festa de encerramento de época do Caldas Sport Clube, a Direcção entendeu reconhecer o trabalho de Joel Ribeiro que, enquanto jornalista faz um acompanhamento de proximidade com o clube.
Sou amigo do Joel e por isso suspeito mas tenho que vir dizer que é um dos mais justos reconhecimentos a uma pessoa excepcional, de grande empenho, seriedade e isenção.
E é a prova que se pode ser isento e defender uma instituição.
Muita gente não entende que o trabalho de jornalista é feito com o sacrifício da família que tem que se deixar, sobretudo ao fim-de-semana quando estão no gozo das suas folgas, para estar onde o Caldas está, para acompanhar juniores, juvenis, iniciados e por aí fora...
Não há uma cara no Caldas que o Joel não conheça! Mesmo nos mais pequeninos...
Não há um jogador, treinador ou dirigente do Caldas que não conheça o Joel.
Mas também o Sporting das Caldas, o Caldas Rugby Clube, o Arneirense, o MVD e todos os outros emblemas da cidade.

É de uma humildade como poucos.
Depois, não é por este prémio que o Joel vai mudar. Eu sei disso!!!
Parabéns Joel.

Foto Gazeta das Caldas

Profissão: Futebolista!

Muito se tem falado no facto de Fábio Coentrão ter dito que em Portugal só jogaria no Benfica e agora assinou por uma época com o Sporting.
Na verdade, parece-me que o primeiro argumento passa pelo facto do Coentrão ser jogador profissional de futebol. É isso a sua vida e é nisso que ganha dinheiro!
Depois podemos divagar.
Podemos dizer que, quando fez essas afirmações, pensaria que o Benfica, um dia, se esforçaria por fazê-lo regressar.
Podemos dizer mesmo que possa ter pensado que, por ser jogador do Real de Madrid, outras portas se lhe abririam.
Ora, nem o Benfica se interessou pela sua contratação nem teve mais convites, pelo menos que se saiba.
Surgiu o Sporting, clube sobre o qual também já tinha feito juras de amor antes de rumar à Luz e terá pensado que podia juntar o útil ao agradável. Jogar por um clube com ambição, com a possibilidade de jogar na Champions, manter o nível salarial e, efectivamente, jogar, coisa que lhe aconteceu pouco nos últimos tempos.
Ora reuniram-se assim as condições necessárias e aí está ele em Alvalade.
Nada de extraordinário! Futre e Cadete também passaram pelo Benfica nas fases descendentes das suas carreiras e, nem por isso, saíram beliscados no seu sportinguismo que poucos porão em causa.
Fernando Mendes andou por todos os grandes, é mesmo, aliás, o único jogador português que jogou em todos os clubes que já foram campeões nacionais, Sporting, Benfica, Porto, Boavista e Belenenses e é um fervoroso defensor do Sporting nos programas de televisão em que participa.

Todas estas razões para dizer que, daqui por uns meses, a chegada de Coentrão é, conforme se diz agora, um não assunto!


domingo, 2 de julho de 2017

O Rúben merecia melhor!

O negócio mais estranho deste defeso! Tenho o Rúben Neves como um dos melhores jogadores sub-21 do nosso país. Depois da saída do André Silva para o Milan pensei que o Rúben, se saísse, seria para um clube da mesma dimensão. Em Itália ou Inglaterra. Nunca para o Wolverhampton da Premiership... Está claramente a trocar uma carreira por dinheiro, o que tenho que entender mas acho um erro! E está a ser empurrado pelos interesses financeiros de um clube a precisar urgentemente de realizar capital e por um empresário sem escrúpulos que só está a pensar na sua posição e na tentativa de evitar o falhanço de um clube onde pensou poder ganhar milhões em jogadores e que também não está a conseguir... No meio disto está um jovem que, de titular de um dos maiores clubes portugueses, onde chegou mesmo a capitão e da selecção do seu escalão, vai ver a sua imagem decair e desaparecer dos radares. Tenho pena!

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Eu também já fui ao bruxo!...

Esta história das bruxarias que Francisco J Marques revelou sobre o Benfica é... um não assunto!
Qual será o clube que nunca equacionou recorrer ao bruxo???
Depois daquelas 10 jornadas em que a bola não entra, depois daquelas 8 jornadas a perder consecutivamente, depois de meia dúzia de lesões em jogadores importantes, depois de um número específico de camisola insistir em trazer lesões ao jogador que o enverga... São inúmeras as situações em que os clubes, pelo menos equacionam, recorrer a bruxaria.

Depois há aqueles que largam umas galinhas pretas no campo, que as enterram atrás da baliza, que deixam fazer umas rezas com velas e um sem número de outras situações. Houve Zandingas, Bruxos de Fafe entre muitas personagens, mais ou menos conhecidas.
Voltando à situação já aqui referida, parece um pouco descabida esta divulgação em forma de acusação! E parece descabido porque o Porto é um clube que já teve fama de recorrer a estes métodos, confirmado por estes dias por Paulo Futre.
A meu ver teria sido muito mais sensato que o Porto Canal tivesse dito que tinha conhecimento de contratos com bruxos por valores exorbitantes e se ficasse por aí, deixando depois resvalar os contratos para os Correios da Manhã deste Mundo e deixá-los a eles chafurdar nessa lama.
E depois há situações que nos empurram para estes métodos sem que a nossa concordância seja plena. Conto a história:
Durante a minha passagem pelo maravilhoso país de Moçambique, no nosso local de trabalho, bem lá no limite da civilização, tínhamos a necessidade de fazer um furo que encontrasse água. Depois de várias tentativas goradas, uma das pessoas contratadas para esse fim disse-nos que não voltava a furar sem "fazer reza". Olhei para o João e o João para mim e dissemos, não! Nós somos cépticos e não queremos entrar nisso.
Uns dias depois, em conversa com o nosso amigo Fernando, que tem muitos anos de África, ele aconselhou-nos a fazê-lo, principalmente para não ofendermos as tradições e crenças da região. Pensámos que talvez tivesse razão e lá acedemos...
No dia seguinte fomos falar com o Régulo da aldeia. O Régulo é uma espécie de Presidente da Junta, de bruxo, de conselheiro, de padre e mais um sem número de coisas...
Dissemos-lhe ao que íamos e eu senti nele um orgulho imenso por dois "mocunhas" (brancos na língua local), estarem a recorrer ao seus serviços.
Fez o preço: 6 galinhas (que podiam ser daquelas congeladas), 10 kg de farinha de milho, 10 kg de açúcar e 10l de óleo.
Mandou-nos estar no dia a seguir às 7 da manhã, com estas coisas à sua porta e daí seguiríamos para o local, com o conselho de anciãos.
Cumprimos e levámos a pic-up cheia. Era o Régulo e mais 5 pessoas, homens e mulheres.
No local reuni-mo-nos em círculo, eu e o João incluídos e lá estivemos mais de meia-hora numa reza em língua local (macúa).
Ficámos com a nossa consciência tranquila perante a sociedade local mas... nunca encontrámos água!
Todavia, se o Benfica e o Porto quiserem, posso fornecer o número do Régulo de Nacala-a-Velha... sempre sai mais barato!
Aqui fica a prova com a foto possível na altura.


segunda-feira, 26 de junho de 2017

Carta aberta ao Provedor do telespectador da RTP

Carta aberta ao
Provedor do telespectador da RTP, Dr. Jorge Wemans

Exmo Senhor Provedor,

dirijo-me a V. Exa. por carta aberta pela impossibilidade de o fazer directamente. 
Algumas vezes tentei preencher o formulário do site da RTP, sem sucesso. Também porque o espaço é muito limitado e eu tenho algumas coisas para lhe dizer que ocuparão mais espaço. Face a isto, uso o meu blog que muito agradeço possa consultar através do link que lhe forneço.
Depois dizer-lhe que o canal que motiva esta minha carta é a RTP Internacional.

Resido no estrangeiro há alguns anos e tenho este canal como um elo que me liga ao meu país mas, em muitas circunstâncias sinto-me muito mal tratado.
Em muitas situações dá-me a sensação que a RTPi é um canal sem direcção. É um canal onde qualquer coisa serve de conteúdo pois quem vê não reclama.
É então esse o meu propósito. Reclamar!
E começo a dar-lhe exemplos práticos:

  • Começo com futebol. O ópio do povo...
    Compreendo perfeitamente que em competições internacionais, em que a RTP até possa ter direitos para Portugal, não tem os direitos internacionais de transmissão e não possa dar estes jogos. 
    Então e os jogos de preparação/amigáveis da nossa selecção, mesmo quando são jogados em Portugal? Qual a razão para privar os portugueses que vivem no estrangeiro de os ver?
  • Separadores...
    Caro Senhor Provedor, este é dos piores temas. É completamente sufocante a "injecção" de separadores iguais que somos obrigados a ver. Como é possível que o Bom Português, que a RTP deverá ter centenas de rubricas em arquivo, na RTPi passe o mesmo durante semanas. Desafio-o a tentar perceber quantas vezes passou no mês de Junho o Bom Português onde se fala na dúvida entre o "cumprimento" e o "comprimento". Acredito que ficará estupefacto! E isto é mal tratar os telespectadores.
  • E o Cuidado com a Língua...
    Constate quantas vezes passou o episódio que se desenrola em Porto Santo neste mesmo mês...
  • E os promocionais?
    Como é possível que os promocionais de um programa passem durante uma semana inteira, em alguns casos, dezenas de vezes nas 24 horas do dia? 
    O habitual é que os promocionais comecem a passar 3 dias antes do programa. Em casos excepcionais, de um programa de relevo, que aconteça por mais um ou dois dias. Agora que, para programas como o Trio de Ataque, andemos uma semana inteira a ver o promocional, é violência!
  • O Sábio
    Outro desafio... peça para que lhe digam quantas vezes passa o promocional d'O Sábio durante o dia. São 7 dias por semana iguais. Mais uma vez... é violência!
  • Conteúdos de promocionais...
    Um tema que tem dado muito que falar na RTP nos últimos tempos. Sobretudo quando falamos de programas cujo tema é o futebol, já tendo levado à retirada de alguns...
    Não é admissível que um promocional comece com Jorge Jesus, com o "seu" português a dizer "silêncio que 'vai-se' cantar o fado".
    Os jovens das comunidades que já têm alguma dificuldade em falar português vão achar que a construção da frase está correcta quando não está. A RTP tem também por obrigação de serviço público, de ser formadora.
  • Falta de cuidado e falta de supervisão sobre o que está a passar...
    Há alguns separadores sobre personagens histórico, como Reis ou navegadores. É uma rubrica curta e interessante mas não pode é legendar-se o nome de Marcelo Rebelo de Sousa e dizer que ele é Prof. Universitário, quando ele já era Presidente da República há meses...
  • Duplicações...
    Por altura da Taça das Confederações, que a RTP1 transmitiu em directo, fez atrasar a emissão do Telejornal. Na RTPi, à hora em que deveria estar a passar esse mesmo telejornal, emitiram em directo o Jornal 3/20 da RTP3. Achei bem pois essa é a hora a que estamos habituados a ver as notícias e assim manteve-se o padrão horário.
    Espanto!!! Terminada a emissão do 3/20 iniciou-se o Telejornal da RTP1 em directo com a repetição das notícias que tínhamos acabado de ver.
    Fiquei sem perceber qual a mensagem que me estavam a tentar passar. Se a chamar-me mentecapto ou se a dizerem-me que a RTPi é o caixote do lixo da RTP...
  • Programas gravados há meses...
    Há, com alguma regularidade a emissão de programas cuja gravação aconteceu há meses e que são aproveitados para encher grelha.
    Há algum tempo estava a ver o Portugal 3.0 do Álvaro Costa, onde ele falava de eventos que, à data da transmissão internacional, já tinham acontecido há cerca de 3 meses. 
    Na altura entrei em contacto por Facebook com o Álvaro Costa que fez o favor de me responder dizendo que era completamente alheio aos dias e horas da repetição do programa.
    Apenas me fica a dúvida de que interesse pode ter para mim um programam que me diz para ir ver uma exposição a Matosinhos que já terminou há 3 meses?


Caro Senhor Provedor, estes são alguns assuntos que entendo devem ser por si analisados e alvo de uma exposição à Direcção de Programas da RTPi (se é que existe).
Sou também muito crítico de alguma programação que tenho dificuldade de entender que seja opção, no entanto isso é discutível. Todavia custa-me ver as programações das tardes (horário europeu), de fim-de-semana. Programas densos de história ou de bandas filarmónicas dos Açores não me parecem adequadas, como muitos dos separadores musicais, com a virtude de serem de bandas nacionais, embora que de duvidosa escolha e qualidade... mas vá lá, não é música "popular" de quinta categoria.

Mas não, nem tudo é mau!
  • Entendo a alegria que o Preço Certo trás às comunidades, não só pelo fantástico Fernando Mendes mas também porque aparecem concorrentes de muitos locais do país e as pessoas estão sempre na expectativa de conhecer alguém.
  • O Golo RTP , em que até já participei, é o melhor programa de desporto do universo RTP e também aqui o Senhor Provedor deveria passar esta informação aos seus responsáveis e, até quem sabe, aproveitar o conceito para canais de Portugal. Verão que não é preciso haver polémica e discussão para haver audiências. Muita gente no nosso país anseia por um programa deste género.
  • Depois é natural a emissão da Praça e do Agora Nós, bem como novelas e séries feitas em Portugal.
  • O Hora dos Portugueses é um excelente programa! Estou certo que é o tipo de coisas que as pessoas gostam de ver.
Fico na sensação que outras coisas poderiam ter sido aqui referidas mas penso que esta já será uma base de análise. Análise essa que em meu entender deve ser pontual, a cada tema aqui referido, para aferir da razão desta carta mas, sobretudo, numa análise mais profunda para perceber se a Direcção de Programas desta estação está a ser competente e se está a respeitar os telespectadores.
Claro que a minha opinião é que não está!


Queira, Senhor Provedor, receber os meus respeitosos cumprimentos, ficando ao dispor de V. Exa e da RTP para qualquer assunto.

Atentamente,

Jaime Feijão





domingo, 25 de junho de 2017

Sporting de Tomar com homenagem original

Espectacular e muito original homenagem da equipa do Sporting de Tomar às vítimas dos incêndios do passado fim-de-semana, na final da Taça de Portugal de hóquei em patins.
Por forma a abranger toda a gente, os jogadores prescindiram dos seus nomes nas camisolas para ter os nomes das cidades e vilas mais afectadas.
Parabéns pela ideia!



Não é um bom exemplo!

Fazer uma falta de comparência, quando se trata de um clube que se diz o maior de Portugal, quiçá do Mundo, não é um bom exemplo!
E não o é quando esse clube não pode deixar de pensar na sua responsabilidade enquanto formador e enquanto imagem e representação de milhões de pessoas.

Pior ainda é quando esta falta de comparência é anunciada com bases pouco sólidas, baseadas em erros de arbitragem.
Todos sabemos que os clubes grandes são sempre os mais beneficiados pelas arbitragens e, o Benfica ao longo do campeonato de hóquei patins foi-o muitas vezes. Nem por isso os seus adversários se negaram a comparecer a jogos.
No jogo que gera a polémica, o Sporting queixa-se de erros de arbitragem a anteceder o golo anulado. Isso quer dizer que, antes de (eventualmente) ser prejudicado, o Benfica já tinha sido (eventualmente) beneficiado.
Depois, acusar um árbitro de premeditação de uma jogada é algo incompreensível e muito grave, que não se deve deixar passar em claro.
Como é que seria possível um árbitro imaginar o que iria acontecer para poder, antecipadamente (é o que significa premeditação - planear), decidir que iria anular aquele golo, que ele não sabia que iria existir...
A Federação de Patinagem deve pensar rever regulamentos por forma a penalizar fortemente quem pratica este tipo de retaliação pois há clubes para quem, parafraseando o jogador Nicolia, "o dinheiro (das multas) não é problema"...
No mínimo a equipa que incorrer numa situação deste tipo deve ser impedida de participar na prova onde não se apresenta, no ano seguinte!


Estátuas

Não vale a pena estabelecer comparações, apenas dizer que há coisas que são muito feias e que não se devem fazer!
Quando alguém as faz, quem tem responsabilidades em clubes de desportivos, por uma questão de fazer passar a mensagem, deve vir recriminar, independentemente de se conhecerem culpados e desses serem de um clube ou de outro.

E não, nunca entrar em retaliações.. É preciso que o desporto acalme e os adeptos cresçam e acompanhem o crescimento do desporto nacional a muitos níveis.
Somos orgulhosos portugueses, conquistámos o mundo e depois envergonhá-mo-nos. Finalmente estamos a sair da casca e a perceber que somos bons em muita coisa.
Não estraguemos isso!


sexta-feira, 23 de junho de 2017

Gazeta das Caldas igual para todos?

Sei que esta minha opinião vai ser incómoda. Ponderei muito se deveria expressá-la, até porque mexe com uma área onde nunca gosto muito de me meter que é a política.

Mas esta opinião, mais que sobre política é sobre comunicação.

Leitor regular dos jornais da cidade das Caldas da Rainha, já há algum tempo que me salta à vista uma coisa que não compreendo nem concordo.

Na Gazeta das Caldas há várias colunas onde se expressa a opinião de pessoas que, neste momento, são já candidatos oficiais a cargos municipais.

Será isto ético?

A meu ver os próprios candidatos deveriam ter tomado a iniciativa de suspender as suas colunas de opinião logo após a sua apresentação oficial aos cargos.

Para que não restem dúvidas e porque alguns até são meus amigos, acho que devo dizer aqui os nomes, mas antes dizer que são pessoas que muito considero e que acho que vivem com dedicação às suas freguesias e à sua cidade e que darão o seu melhor se vierem a ser eleitos - Jorge Varela (PSD – Candidato à UF Sto Onofre e Serra do Bouro), Lino Romão (BE – Candidato à CMCR), Rui Gonçalves (CDS – Candidato à CMCR) e José Carlos Faria (CDU – Candidato à CMCR). Falar nestes nomes é um mero pró-forma pois basta uma consulta ao jornal para confirmação.

Claro que o argumento de que não se aproveita a coluna para fazer política e para se promover a candidatura será o principal a usar mas, em alguns casos já está claramente posta de parte. Basta clicar em cima dos nomes e ler!

Quanto à Gazeta das Caldas, aquilo que é a sua obrigação enquanto órgão de comunicação isento, é proporcionar o mesmo nível de oportunidade a todos os candidatos autárquicos, coisa que não está a fazer, contrariando o seu próprio Estatuto Editorial


Jaime Feijão



segunda-feira, 19 de junho de 2017

Acusa hoje quem nada fez ontem e, acusará amanhã...

Na política, tal como no futebol ou na religião, os mais fanáticos não perdem oportunidade de atacar os adversários. Para falar no caso concreto dos fogos, é curioso ver como as acusações mudam de cor consoante o governo. Se há fogos com a direita no poder, acusa a esquerda! Se há fogos com a esquerda no poder, acusa a direita! Pelo meio, tudo fica por fazer! E fica por fazer por todos, à esquerda e à direita!!! O fogo é um negócio gigantesco. Fala-se sempre nos madeireiros mas esses são apenas alguns. Empresas de aluguer de aviões e helicópteros... Todos quantos fornecem material para os bombeiros... Muitos são os interesses que circundam este flagelo e a falta de escrúpulos faz com que até as mortes sejam negligenciadas e, apesar de num ano morrerem pessoas por causa dos incêndios, no ano seguinte continua tudo na mesma. Tudo isto deixa transparecer a existência de grandes lobbies que dominam até quem nos governa e que impede que medidas sejam tomadas para que, a médio prazo se diminuam as consequências do mau ordenamento da floresta. Este ano e no fogo de Pedrógão Grande parece terem havido circunstâncias especiais que propagaram o fogo de tal forma rápida que não seria possível minorar o problema. Há quem fale de ventos que arrastavam pessoas naquele momento preciso, quem diga que o fogo andou mais depressa que o carro e que quando chegou já estava tudo ardido. Este foi. sem dúvida, um caso de excepção que configura a maior tragédia ocorrida em Portugal pelos fogos. Esperemos que este exemplo seja mais que suficiente para despertar consciências (se é que ainda é necessário), para trazer à razão quem ainda hesita em tomar a responsabilidade de fazer reformas urgentes nesta área. Há que acabar com a mata desordenada! Há que acabar com matas plantadas por pessoas que se ausentam, logo de seguida, da região ou do país e que só aparecem para se lamentar que o fogo lhes queimou tudo o que eles não zelaram. Há que acabar com a venda ilegal de madeiras ardidas. Há que acabar com as comissões pagas pelas empresas de meios aéreos. Como diz um amigo, quantos aviões de apagar incêndios se teriam comprado com o custo de dois submarinos? Há que acabar com os senhores bombeiros que têm empresas de vendas de fardamentos e de materiais. Enfim, há que tomar medidas sérias, honestas e que, sendo certo que nunca acabarão com o flagelo dos incêndios, minorem os danos que todos os anos nos assolam. Acusa hoje quem nada fez ontem e, acusará amanhã quem nada está a fazer hoje!!!...


domingo, 18 de junho de 2017

Um país em duas vias...

Portugal está perante uma das maiores tragédias da sua história. Até ao momento estão contabilizados 61 mortos e outros tantos feridos, sendo que, pelo menos dois, em estado grave.
Tudo isto com incêndio de desenvolvimento estranhamente rápido que apanhou desprevenida a população que se viu encurralada pelas chamas.
Para lá dos mortos e feridos há um número não especificado de desalojados, pessoas a quem arderam casas e muitos bens.
Poder-se-ia ter feito mais? Claro que deveria ter sido possível! Há erros de ordenamento da floresta? Há dezenas de anos que sim!Há culpados? Claro que sim, a começar pelos proprietários destas florestas descuidadas!Haverão consequências a retirar desta tragédia? Depois de tudo estar investigado e de haver situações identificadas, aceito que sim!
Mas há o calor, o vento, as trovoadas, a falta de água, a escassez de humidade no ar... Isto não se controla! Nem os governantes, nem a Protecção Civil, nem os bombeiros e muito menos a população.

Mas, como é habitual, Portugal é solidário!

Muita gente está a doar bens. 
Muita gente está a depositar dinheiro na conta da CGD, especialmente aberta para o efeito (IBAN: PT50 0035 0001 00100000 330 42), mas há outros bancos que já têm contas abertas para o efeito. 
A selecção, concentrada na Rússia para a Taça das Confederações, já reuniu uma verba para entregar. 
André Vilas Boas a treinar na China já reuniu 100 mil Euros que também diz que vai entregar imediatamente.
Certamente que o Estado terá que fazer a sua parte, disponibilizando meios às pessoas para refazerem as suas vidas.
Não pode esquecer-se a ajuda internacional que também vai chegando.

Numa outra via, ainda antes de se perceber o que é que correu mal já há quem tente tirar partido político da situação, exigindo demissões e responsabilização... basta ver o Facebook. Sempre o Facebook!!!...
Ser político ou para se estar na política é, na realidade, preciso não ter escrúpulos nem ter problema de ignorar a dor das pessoas.
Pessoalmente digo que, eu próprio, se fosse governante com responsabilidade na Administração Interna, primeiro ajudaria os vivos. Depois... depois demitir-me-ia independentemente da minha culpa pessoal. Apenas porque não ia conseguir continuar a desenvolver o meu trabalho sabendo que, durante o meu mandato tinha acontecido tamanha tragédia. Mas nunca porque já está a ser usada a tragédia para benefício político-partidário!...

É por isto que Portugal é um país em duas vias, felizmente que a via maior é a da solidariedade e de ajuda a quem precisa neste momento.
Muito triste que haja aproveitamento apenas para puxar a uma cor partidária.
Não é aceitável!!!


Luto pela tragédia de Pedrógão Grande

O Ponta da Lança vem solidarizar-se com todas as famílias das vítimas da tragédia de Pedrógão Grande e deixar o seu voto de pesar pelas mortes hoje ocorridas.
Também nós estamos de luto.


sábado, 17 de junho de 2017

Informar e acabar com as especulações

Bruno de Carvalho lançou uma nota de esclarecimento no Facebook, através de Nuno Saraiva, Director de Comunicação do Sporting onde se mostra bastante agastado com a TVI24 em virtude destes aventarem a possibilidade do presidente do Sporting ter recebido comissões relacionadas com transferências de jogadores e de haver indícios de fuga ao fisco por parte do clube.
Na nota publicada hoje diz-se que haverá processos a ser instaurados nos tribunais e na ERC, apesar de nunca existir uma negação dos factos, mas sendo veemente na ideia que há um interesse em sujar a sua imagem, desviando atenções do que de muito grave se anda a conhecer nos últimos tempos no futebol em Portugal.
Quem se sente lesado está no seu pleno direito de se defender.
Apenas questiono o seguinte:
- Não seria sensato avançar com um esclarecimento que corte com as especulações? 

Com esse esclarecimento, também os sócios e adeptos do clube poderiam fazer o seu juízo de valor e ficar mais ou menos descansados.
Porquê descarregar-se a ira e deixar tudo na mesma? Afinal, como diz a sabedoria popular e Cristiano Ronaldo também, quem não deve não teme!

Para confusão defendida com a barriga a empurrar para a frente já temos que chegue.
Precisamos de clareza e honestidade!